O Comitê Científico do Consórcio Nordeste atualizou a situação dos estados da região. Em um boletim, os especialistas alertam para o risco do aumento da letalidade da Covid-19 na Bahia.

O comitê analisou os registros da Covid-19 entre 16 de agosto e 16 de outubro. O boletim assinala que a Bahia seguia em tendência lenta de queda no número diário de infectados e mortes causadas pela doença. No entanto, essa redução foi interrompida na segunda metade de setembro, segundo o Consorcio Nordeste.

A taxa de letalidade teve aumento de 8% nesse período, saltando de 2,02% para 2,18%. Em contrapartida, a média do país nesse mesmo intervalo foi de queda também de 8%, uma redução de 3,23% para 2,95%.

Os especialistas atribuíram o estremecimento da estabilidade ao efeito do relaxamento do distanciamento social, no feriado prolongado da Independência do Brasil. Ainda sob essa perspectiva, o comitê alertou para a necessidade de atenção aos meses de outubro e novembro, que também têm feriados prolongados, além das aglomerações de campanhas eleitorais.

O secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas já havia dito, há cerca de 15 dias, que o aumento das taxas de internação por Covid-19 no interior estava diretamente ligado às aglomerações promovidas por campanhas eleitorais.

 

Verão e o risco de segunda onda no NE

A Bahia não é o único estado do Nordeste com aumento nas taxas de letalidade. No entanto, o Comitê Científico do Consórcio Nordeste detalhou que dos nove estados da região, apenas o Rio Grande do Norte teve diminuição do risco epidêmico.

Os especialistas também divulgaram um quadro demonstrativo sobre a situação geral da pandemia nos nove estados. Esse quadro contempla: situação da pandemia, risco epidêmico e número de óbitos. A Bahia aparece com risco de epidemia alto, apesar da situação pandêmica apontar para tendência de estabilização. [Veja quadro abaixo]

Os especialistas pontuaram que o Nordeste tende a atrair turistas europeus no verão e que, com isso, há um risco real de aumento do fluxo de pessoas contaminas pela Covid-19, já que a Europa está em fase de segunda onda da pandemia.

Para que o risco de novos picos de contaminação sejam evitados, o comitê recomendou que os governos estaduais adotem medidas de prevenção, como implantação de equipes de saúde, com aferição de temperatura e testagem rápida nos aeroportos e quarentena de 14 dias para turistas que não tenham atestado negativo de contaminação do novo coronavírus.

Até esta segunda-feira (26), o governador Rui Costa não havia se manifestado sobre atender ou não as recomendações do Comitê Científico do Consórcio Nordeste.

Quadro demonstrativo da Covid-19 na região Nordeste — Foto: Comitê Científico do Consórcio Nordeste
Quadro demonstrativo da Covid-19 na região Nordeste — Foto: Comitê Científico do Consórcio Nordeste

 

Fonte: G1.com
Foto: Divulgação/Governo da Bahia